Notas do Enem terão pesos diferentes de acordo com o curso escolhido. Notas do Enem terão pesos diferentes de acordo com o curso escolhido.

SÃO PAULO – A Universidade de Coimbra, em Portugal, será a primeira instituição estrangeira a usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de acesso ao ensino superior a partir de 2014. A medida só valerá para candidatos brasileiros. O Enem já é usado como parte do processo seletivo de todas as universidades federais do Brasil desde o ano passado.

Os brasileiros que usarem a prova estarão dispensados dos exames nacionais portugueses, que funcionavam como sistema de acesso até agora. A partir deste ano, a instituição aceitará os resultados do Enem de 2011, 2012 e 2013. Em Coimbra são oferecidas graduações como Administração, Arquitetura, Direito, Engenharia Civil, Odontologia e Psicologia.

As notas do exame terão pesos diferentes de acordo com o curso pretendido, o que pode ser calculado por uma tabela de conversão de notas. O desempenho na prova de Matemática do Enem, por exemplo, é mais importante para os interessados em Engenharia do que para candidatos a Direito. A mensalidade na instituição é de 700, cerca de R$ 2.150.

Segundo o vice-reitor da Universidade de Coimbra, Joaquim Ramos de Carvalho, o Enem tem padrão elevado de qualidade e a medida promete facilitar o intercâmbio de estudantes brasileiros. “O Enem já é o exame de acesso de várias boas universidades brasileiras e avaliamos que também serviria de qualificação para nossos candidatos”, afirmou Carvalho.

“Não faz sentido obrigar os estudantes brasileiros que já fizeram o Enem a passar por outro processo seletivo difícil”, disse o vice-reitor. Atualmente, 2.059 alunos do Brasil estudam na instituição de Coimbra.

No mês passado, o governo português publicou uma lei que permite às universidades do País criarem seus próprios sistemas de ingresso à graduação, alternativa que não existia antes. A medida pode dar espaço para que outras instituições portuguesas copiem a iniciativa da Universidade de Coimbra.

De acordo com o Ministério da Educação brasileiro, ainda não há outras universidades estrangeiras que usam o Enem como parte do processo seletivo. A pasta ainda não confirma a data, mas estuda aplicar o exame nos dias 8 e 9 de novembro. A última edição da prova teve recorde de inscritos: 7,1 milhões de candidatos.

Consolidação. Para o especialista em avaliação educacional da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Cipriano Luckesi, a iniciativa da escola portuguesa representa mais um voto de confiança no Enem. “Isso reconhece a importância do exame”, disse. Segundo ele, o uso do Enem para entrar em Coimbra também pode estreitar as relações acadêmicas. “Já temos bastante mobilidade de professores e alunos. Precisamos fortalecer a equivalência de títulos (diplomas)”, afirmou.

A proposta ainda confirma, para especialistas, o interesse de universidades europeias, afetadas pela crise econômica, em atrair mais brasileiros. Esse processo já foi intensificado nos últimos anos com o Ciência sem Fronteiras, programa de intercâmbio do governo federal que pretende levar 101 mil estudantes e pesquisadores brasileiros ao exterior até 2015. Portugal, porém, não está mais entre os países de destino do programa.

FONTE: Victor Vieira – O Estado de S. Paulo

Postada em: 29/04/2014